Ufologia e Espiritualidade na busca de verdade

Acervo do General Uchôa

A busca da verdade que General Uchôa falava tinha muito a ver com sua investigação transcendental para a vida, sem deixar de ser aquele professor de cálculo e mecânica racional. No quinto texto da série que explora os documentos sobre Ufologia encontrados no Acervo do General Uchôa, trazemos seu olhar, ainda hoje ousado, para esse campo do conhecimento. A astronomia nos mostra que somos apenas um pálido ponto azul no braço de órion, menor braço da Via Láctea, entre tantas outras galáxias já descobertas pela ciência humana.

Para o General não havia separação entre Ufologia, Parapsicologia e Espiritualidade. Suas experiências e estudos mostravam, a cada dia, a realidade multidimensional. Ele não descartava nenhuma hipótese que pudesse ser investigada com rigor científico e conectada com as faculdades da psique humana.

Em entrevista concedida à TV Capital Cidade Aberta, em 1978, e que consta como documento do Acervo (fita U-matic, 0001_AMU_AV), o General falou sobre o que considerava um atraso para a Ufologia:

“(…) os maiores cientistas são os mais atrasados porque são exatamente aqueles que correm da possibilidade de fazer hipóteses. Então se limitam a verificar os fatos. Então, para o cientista, para o mundo científico atual a ufologia ainda está na fase da coleta de dados que é o primeiro passo da ciência. Nenhum cientista de responsabilidade que nós conheçamos faz qualquer hipótese para complementar qualquer conhecimento a respeito de ufologia. Apenas afirmam que os fatos existem, que é o caso do professor Hynek, que é um grande especialista, o Jacques Vallée que é um cientista à disposição, francês, um grande cientista de matemática, cibernética, a discussão da NASA, escreveu vários livros, mas eles se limitam a verificar os fatos, a catalogar, a estudar ritmos de apresentação aqui, acolá, alguns já estudam até as correntes digamos, as direções mais prováveis em que esses objetos percorrem a Terra, mas sem nenhuma conotação científica propriamente dita nos cobrando de qualquer lei, qualquer relação de causalidade, exceto constitui a da ciência, de forma que a ufologia está atrasada em toda parte.(…)”

No livro Mergulho no Hiperespaço, o General deixa claro que sua vivência com os fenômenos tem um marco na noite de 22 de julho de 1968, na Fazenda de Alexânia, quando Mestre Morya se materializou para ele. A partir dali foram anos de contatos telepáticos e fenômenos com luzes, presenciado por diversas pessoas com quem ele compartilhava as experiências. A essa interação entre o fenômeno físico, psíquico espiritual ele entendia que seria um novo patamar para a Ufologia.

Outros sentidos poderiam advir, e a parapsicologia já os começa a indicar na criatura humana, podendo então o homem, quando os tiver desenvolvidos e operantes, perceber outra ou outras dimensões daquela mesma anterior realidade. Estas até então não percebidas, não elaboradas no seu psiquismo. Sobreviria ou sobrevirá seguramente uma concepção mais ampla e abrangente do universo em que vive.(…) A esse conhecimento assim mais rico de humanismo e bondade, de nítidas intuições rumo à verdade, a par de uma abrangência cósmica, que vai do empirismo científico, através da sistematização racional, até à justificativa institucional dos postulados do amor e do espiritual, denominaremos ciência esotérico-espiritual. Mergulho no Hiperespaço. pág. 87.

Alguns documentos do Acervo trazem essa visão abordando questões como telepatia e outras no campo da multidimensionalidade, como podemos ver a seguir.

Reportagem da Revista Manchete de 1979 sobre o 1° Congresso Mundial de Ufologia, organizado pelo General Uchôa, em Brasília. Relata fenômenos e estudos de contatos, capacidades telepáticas e presenças extraterrenas.

Neste documento temos anotações sobre fala do General Uchôa para palestra de abertura no I Congresso Nacional de Ufologia.

Anotações do General para palestra na Sociedade Metafísica Aquarius sobre a necessidade da pesquisa no campo da ufologia, Teosofia, Mestres da Fraternidade Branca.

Na próxima matéria vamos trazer os conceitos do hipertempo e hiperespaço relacionados à ufologia.


Leia as matérias anteriores da série:

1 – Ufologia e o legado brasileiro do General Uchôa
2 – Um olhar para a ufologia casuística
3 – Tipologias de naves e diferentes civilizações
4 – Avistamentos de OVNIs na mídia brasileira


Acesse nossa editoria de conteúdo #AcervoUchôa e leia todas as matérias já produzidas sobre o trabalho no Acervo.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

por Juliano Pozati
por Grazieli Gotardo