Aceitar o inverno para que a primavera chegue mais radiante

Solstício

The Winter is Coming…*

Yule, nome dado a celebração que tem origem no norte da Europa, é o nosso solstício de inverno. Na mitologia celta, é o período da promessa do nascimento do Deus Sol, que nascerá para restaurar a Natureza.

Essas comemorações existem desde as mais antigas expressões religiosas e de povos da antiguidade que antecedem a milhares de anos ao cristianismo, e tem semelhança com o Natal cristão. A Igreja incorporou às suas próprias festividades, como o dia do nascimento de Jesus, para acelerar o processo de conversão dos povos celtas e pagãos.

Chegamos no penúltimo Sabá da roda do ano, que não tem necessariamente essa ordem, pois é uma roda, mas estou contando em relação ao primeiro artigo que publiquei aqui sobre eles, o Ostara. Comemora-se neste período a entrada do inverno, Yule, no dia 21 de junho, aqui no Hemisfério Sul, e, no Hemisfério Norte, 21 de dezembro.

No Yule, povos da antiguidade tinham o costume de levar árvores como o pinheiro e o azevinho para dentro de casa para proteger os espíritos da natureza do frio. Acreditava-se que essas árvores eram sagradas, pois os espíritos habitavam nelas, além de serem plantas fortes que permaneciam vivas durante o rigoroso inverno. Nesta data também se via nas casas muitas velas acesas, para que a luz do fogo atraísse a luz do sol, como um princípio de correspondência. Como podem ver, hábitos que lembram muito o que se faz na tradição cristã ocidental de Natal.

Este é o período em que o Sol se afasta em direção ao Pólo Sul, e é o menor dia do ano, com um maior período de escuridão. A partir daqui gradativamente as horas do dia começam a aumentar até chegar o verão.

É chegado o momento de entrar no Caldeirão da Deusa, pensar e refletir, estar no “meio do meio do meio de nós”. Cuidar de nós mesmos, reabastecer as energias, agradecer o retorno da luz… pouco a pouco, ter a fé de que o inverno irá passar e não será tão duro conosco. É tempo de sermos resilientes e ter a alegria da esperança de que em breve o frio dará lugar ao calor novamente. Este é o momento de aproveitarmos todas as colheitas que estocamos desde o verão passado, desfrutar do que guardamos a partir do nosso esforço feito e apenas se recolher, preparar-se para as colheitas futuras.

Aproveite essa época de renovação e doe aquilo que você não precisa. Por exemplo, é um tempo onde encontramos muitas campanhas do agasalho. Desapegue do excesso, acolha quem precisa de nós neste inverno. O UM pode parecer pouco, mas o UM em conjunto é imenso. Tente sentir essa energia, esteja mais em contato com a natureza, mesmo que seja mentalmente, mas entre em harmonia com o poder dessa estação. Não estamos separados da mãe terra, apenas precisamos resgatar nossos sentidos.

Que tenhamos coragem para continuar os caminhos da vida. A roda nunca para, a diferença é como você passa por estes momentos.

Vou deixar para vocês uma prece autoral para fazer no primeiro dia de inverno.

Peço proteção aos espíritos de luz
À fonte primordial, à consciência superior
que abençoe minha colheita
Que nada me falte neste inverno
Que eu consiga ver além
Que eu consiga ver o outro
Que eu consiga ver a mim mesma(o)

Agradeço ao Todo, à natureza, à minha vida
Agradeço por tudo o que tenho recebido,
Às energias sutis que me envolvem e assim a todos os meus

Que a promessa do Deus Sol se faça presente,
Abençoe e renove nossa mãe terra
assim como somos todos um.
Que a Terra me inspire sua firmeza,
Que a água me envolva com seu poder de se adaptar
Que o ar purifique minha mente
Que o fogo transmute o que não deva estar!

Blessed Be!

Bruxilds Juliana Rissardi


* Referência ao primeiro episódio da série “Game Of Thrones”.

Lembre os artigos anteriores da Roda do Ano:

 

4 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

por Grazieli Gotardo