Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça

por Juliano Pozati

Ouvir e escutar são atitudes diferentes. Claro que, no dicionário, “trouxa”, correspondem à mesma operação: o funcionamento do nosso aparelho auditivo.

Para os iniciados em filosofia, ouvir e escutar podem ser coisas bem diferentes. Diante da hiperconectividade dos nossos tempos, onde absolutamente todos tem algo a dizer em todos os palcos digitais disponíveis, escutamos muito barulho, mas paramos muito pouco para ouvir de verdade.

Eu escuto com meus ouvidos: as ondas sonoras fazem meus tímpanos vibrarem e produzirem impulsos elétricos que são decodificados no córtex cerebral. Escuto e imediatamente me preparo para reagir, para responder, para pular o vídeo ou no mínimo colocá-lo em 2x. Não tenho tempo para perder…

Ouvir pede tempo. Para ouvir você usa outro órgão, por assim dizer. Ouvir é mais que decodificar ondas sonoras com o ouvido, mas é demorar-se para perceber a vibração espiritual sutil que acompanha as ondas sonoras emitidas por quem o outro é. Escutamos com os ouvidos, mas ouvimos com o coração. Deus não fala no “pé do ouvido”, ele “fala ao coração”.

Por não querermos “perder tempo”, perdemos tudo o que poderíamos ouvir a vida nos dizer. Para ouvir é preciso disponibilidade e não reatividade. Animais escutam o ambiente e estão prontos para reagir. Escutar é um gatilho que dispara uma ação. Ouvir é um convite para contemplação. É o silêncio que medita e conecta. Ouvir pede tempo, meditação, se deixar afetar por toda a vibração do outro pede tempo e coragem para o silêncio que acolhe e se contenta ao estar inteiro para alguém além de mim mesmo…

2 respostas

  1. Cara, perfeito! Se não fosse você ter invertido os significados entre “OUVIR” e “ESCUTAR”…rss.
    Já tinha visto você fazer isso em outros vídeos. Deve ter se confundido…
    Veja bem:
    Qual a diferença entre ouvir e escutar?
    A pessoa ouve apenas, mas pode ou não interpretar a comunicação. Escutar requer mais que ouvir, ou seja, a pessoa tem que prestar atenção ao assunto, entender do que se trata, perceber o que foi dito, sentir as palavras, memorizar o assunto, opinar, levar em consideração e agir ou não em conformidade.
    Bora corrigir!
    Abraço fraterno,
    ROBERTO IdeP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

MATRÍCULAS ABERTAS.
Instituto Círculo