Paz, paz na Terra, aos homens boa vontade

Uma mensagem de General Uchôa

Desejamos um ótimo e exoconsciente natal a todos nossos alunos e seguidores! Com as bençãos de natal do nosso mentor, General Uchôa, fica uma mensagem que ele escreveu para o Natal de 1971, deixada em seu acervo, mas que ainda tem mensagens tão necessárias para o presente e o futuro da humanidade!

Natal de 1971*

Há quase dois mil anos, um acontecimento veio mudar a história do mundo- Terra. Sutilíssima tessitura espiritual – cósmica formou-se nos espaços infinitos – Irradiações e vibrações próprias emanadas das Potestades Estelares, solar e planetárias formaram aquelas malhas

delicadíssimas do divino tecido através das quais – Jesus- O Cristo chegou até nós e viveu e ensinou e demonstrou e curou e redimiu almas iniciantes, mas abertas à plenitude da sua luz, de sua Excelsa e Divina Glória.

Hoje agora, Senhor, vemo-nos nós também alma, seres ainda

iniciantes, mal posto o nosso pé no início da gloriosa jornada, carentes da vossa benção, para vencermos as incertezas dos nossos passos, para despertarmos e nosso mundo interior ao influxo da luz que, felizmente, sentimos já acender-se no santuário, para prosseguirmos sem desfalecimentos, ora trôpegos e fracos, ora animosos e revigorados, aquele caminho de que falaste, estreito mas cheio de sol, para, afinal, um dia, segundo a vossa promessa, termos aquela luz, agora apenas bruxuleante, tênue, transformada em luz infinita.

Esse, então, será o verdadeiro Natal, Havereis, senhor, nascido um número infinito de vezes, nascendo no coração humano e tereis cumprido a divina tarefa, que vos terá trazido dos altos concílios de Sirius, da Esfera dos amadores, para que a nossa Humanidade, afinal, realizasse o seu Destino, o nosso Planeta acendesse na hierarquia dos globos em que palpita e se dignifica e enobrece e se embeleza e divinize a evolução da forma, de consciência do espírito.

Sede, Senhor, presente, segundo a promessa que fizestes e assim abençoai este Lar e todos os lares, esta cidade e todas as cidades, esta pátria e todas as pátrias, esta humanidade que é a vossa humanidade. E aqui, contritos, possamos nesse breves instantes, ouvir aquele cântico dos Pastores, entoando com eles, na vibração etérica, daquele cântico gravado na luz Eterna, que ainda hoje é presente:

“NASCE JESUS, NASCEU JESUS – GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS!

PAZ, PAZ NA TERRA, AOS HOMENS BOA VONTADE”.

PAZ, PAZ, PAZ
General Uchôa


*Texto transcrito do original deixado para o acervo, com modificações mínimas de palavras e acentos para manter o sentido original do que gostaria de passar o General Uchôa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

por Juliano Pozati
por Grazieli Gotardo