Urge o despertar da brava gente … (LAB 24)

Diário Espiritual

Participantes: Adriana, Fernanda, Juliana, Juliano, Larissa, Mônica, Rene, Simone
Data: 30 de março de 2021
Via Zoom

COMUNICAÇÕES

Larissa conduz oração de abertura da reunião


Egrégora (psicofonia Mônica): Meus queridos, boa noite. Estamos emocionados e com bastante expectativa para o mês que se inicia com a proposta de meditação em torno do nosso querido e amado Brasil. Não é por acaso que estamos reunidos nestas terras hoje, para trabalharmos e construirmos a nossa tão almejada Nova Terra. Pedimos que todos enviem agora boas vibrações para o nosso querido Brasil, para todo o povo, seus dirigentes e trabalhadores.

Olavo (psicofonia Juliano): E os tempos nos trazem de volta às águas de março fechando o verão. O Brasil passa por momentos delicados da sua história e vê constantemente sua soberania sendo ameaçada. As instituições que defendem a Constituição precisam de muita oração. Urge o despertar da brava gente para que esta nação ocupe o seu lugar na ordem global e possa contribuir de forma derradeira com o novo século das luzes, que a nova consciência deve inaugurar. São milhares de seres luminosos correndo ao encontro desta nação neste momento, e o seu impulso energético não pode ser desperdiçado. Mentalizem o novo, espalhem a luz, plantem a autonomia, sirvam à filosofia.

Egrégora (psicofonia Adriana): Venho com o poder infinito abrir a pauta de ações coletivas que antecederão cada passo na ascensão da espiral evolutiva. Caminhar sempre sem medo do novo, sem medo do “como”. Isso será essencial para os dias que se seguirão.

Egrégora (psicofonia Fernanda): É chegada a hora de podermos construir alicerces sólidos pautados na espiritualidade. Novos tempos, novos rumos aparecerão, mas somente aquele que tem a mente despertada poderá enxergar. Estejam atentos, estejam conectados. Mas o mais importante é que estejam em paz.

Egrégora (psicofonia Simone): Nós agradecemos a colaboração, queridos viajantes (veio na hora do envio de energias para o Brasil). A gente precisa da caridade que emana das palavras que curam. Nosso papel não será no banco de espectadores passivos, e sim como trabalhadores incansáveis do Cristo, com uma fé irremediável e com a certeza de que estamos aqui para impulsionar o novo fazer, o novo sentir.

Egrégora (psicofonia Adriana): Vocês têm todo o cabedal necessário à implantação de novos caminhos, e isso terá impacto simultâneo ao longo de ações em todo o planeta em um movimento sincronizado de ações muito bem pontuadas estrategicamente em cada ponto deste planeta. Confiem neste projeto, lutem pelo planeta.

Olavo (psicofonia Juliano): O Círculo, ao longo dos últimos tempos, seja no seu plano mental, seja na coalizão de colaboradores visionários, porque sabemos que o mundo ainda passará, e sobretudo o Brasil ainda passará por uma turbulência às vésperas do seu bicentenário da dita independência. Até setembro de 2022 a nação enfrentará um grande momento de provação. Nós estamos blindando este projeto e os seguramos com a mão. Não como privilégio, mas como ponto de apoio e abrigo seguro às consciências que precisarão se alimentar com ideias capazes de romper definitivamente com os paradigmas falidos que insistem em ocupar a pauta das prioridades terrenas.

Não se envaideçam do lugar seguro e firme que resistirá às ondas tempestuosas da maré revolta destes tempos que hão de vir. Ao contrário, tenham a serenidade e a humildade de reconhecer o papel singular que vocês devem desempenhar diante de tudo que testemunharão.

Vocês têm o nosso compromisso para que não se preocupem e não se deixem abalar com o que há de vir. Ao contrário, sejam a voz que sereniza, o ombro que acolhe as lágrimas, as pernas incansáveis que correrão no momento do amor, socorro e estímulo mútuo.

Todo parto dói. Nascer requer coragem. Sejam a coragem que faltar à sociedade onde estão. Sejam a ousadia que faltar, o ponto mais de confiança, sejam a gota a mais de fé.

Egrégora (psicofonia Simone): A energia da Terra a cantar os ventos da Nova Era. A equipe que está com vocês não descansará. Estamos a postos, vigiando e guardando o vosso sono, pois a Nova Era precisa deste despertar da consciência. Fiquem em grupo. Este elo é imbatível. Avanti, meus queridos, avanti.

Larissa: Queria fazer uma pergunta, eu tenho encontrado em sonhos pessoas de muito tempo atrás, ou situações muito antigas da minha vida, e eu queria saber se a Egrégora do Círculo está envolvida, em algum tipo de processo comigo e com todos nós, se faz parte de algum processo nosso.

Mônica: E eu acrescento, dentro dessa pergunta, se vale a pena a gente ler esse livro (Aurora Dourada) e buscar mais informações sobre o passado.

Olívia (psicofonia Juliano): Minhas queridas, todo conhecimento é útil. Nós somos o resultado de nossas relações. O que somos hoje é o resultado que carrega tudo aquilo que já vivemos, experienciamos, sofremos e amamos. Não há em nós fruto do acaso e quando nós despertamos certas memórias que podem parecer constrangedoras, ou trazer sentimentos que alterem o nosso estado emocional presente, é porque precisamos criar caminhos para ressignificação do mundo interior, porque esse mesmo mundo interior é de onde emerge toda mediunidade, toda comunicação. E nós precisamos de águas mais claras para podermos navegar mais tranquilamente no processo de criação de sinergia do plano mental desse laboratório. Não estranhem se essas coisas aflorarem, porque o que dói, arde, chora e grita em nós. E é preciso acolher em nós esse sentimento.

Deixar chorar em nós aquilo que chora. Deixar gritar o que grita. Trazer para fora de nossas cascas, de nossas máscaras e fantasias, aquilo que dói. Só assim podemos nos relacionar de maneira autêntica, profunda e sincera.

Esse é um caminho que exige um chão acolhedor, um ambiente empático e mais do que tudo uma roda que olha sem preconceitos. Isso é o verdadeiro significado do Círculo. Quando estamos em roda, ninguém está à frente de ninguém. Ninguém dá as costas. Todos nos olhamos face a face como somos. Não há possibilidade de desviar o olhar dentro de um Círculo. É esse tipo de relacionamento que nós estamos preparando para trilhar e este nível requer sinceridade e coragem.

Muitas vezes vocês perceberão que situações desta vida se confundirão com situações de outras vidas, de erros passados, acertos passados, vivências passadas. Seja o que for, somos o resultado de nossas relações e é preciso olhar com carinho para as tramas da vida, pras linhas que nos conectam e formam um grande tecido de nossas vidas, amizades sinceras, laços de parceria de amor e amizade que fazem de todos nós uma só família espiritual.

Antes que você faça a pergunta, me permita responde-la: quando as situações e sentimentos aflorarem, sugiro que toque uma música profundamente nas tuas emoções. Utilize a música como canal veiculador dos estados emocionais que você sentir e peça à equipe espiritual que te ajude a enxergar os sentidos ocultos nas relações e nos momentos que fluíram na sua mente. Quando enxergar espiritualmente os episódios históricos que aflorarem no seu plano mental você perceberá, em primeiro lugar, que jamais esteve sozinha. Em segundo lugar, que nada é por acaso. E em terceiro lugar, que tudo se conecta e se entrelaça nas tramas da vida. Neste momento, ao contemplar as causas e efeitos, ações e reações, deixe surgir dentro de você a gratidão honesta e sincera. Agradeça, acolha, honre e siga em frente.

Faça isso quantas vezes forem necessárias. Nem sempre é possível ministrar um remédio que haja de uma maneira direta, impactante e resoluta, numa só dose. Às vezes, o tratamento é homeopático, paulatino e a cura é uma construção no tempo. Todas as vezes que esses sentimentos, situações, fatos históricos e fragmentos de memória emergirem, sigam essa recomendação. Mas tenham a serenidade de perceber que aquilo que está sob os domínios da consciência consciente, por assim dizer, representam menos de 1% de tudo aquilo que vocês trazem no subconsciente, e eu estou apenas me referindo à presente encarnação.

Imaginem vocês, todo o acumulado de todas as vidas, de todas as existências… portanto, não se preocupem em pagar à vista aquilo que pode ser parcelado.


Larissa: Me veio à mente que precisamos mobilizar os alunos e quem se afiniza com a escola para veicularmos algum tipo de meditação ou zoom semanal para reunir as energias, o plano mental, de todo mundo.

Juliano: Obrigado pela confirmação (risos). O Rico está organizando agora em abril, 22 dias de meditação pelo Brasil e me chamou para participar, e vamos veicular isso juntos. Falamos muito disso hoje. Mas também confirma os Encontros na Cabana, com certeza.

Vou com compartilhar um trecho psicografado que acho que é parte da mensagem que veio picotada entre eu, Drica, Mônica, Simone e Fefa. O trecho: “Quero recordar ainda que todos vocês, ao nascer no Brasil, se comprometeram com o projeto do Cristo para esta nação. Sim, o Brasil é um projeto pessoal do Cristo e assim precisa ser visto e amado. Todos vocês são protagonistas deste projeto por ele patrocinado. Não há o que temer.” E fiquei com o nome Olavo na cabeça.

Simone: Bilac*? Não sei, mas acabaram de escrever “sim” aqui no caderno.

Juliano: E me parecia ser um grupo de pessoas.

Simone: “Sim” de novo.

Simone: Escrevi aqui também “Não vai precisar de prancheta, Pozati”. Lembra disso? A gente garante a ordem em meio ao caos, na tempestade vocês terão garantido o descanso”.

Juliana: Teve um momento aqui que veio mensagem “Salamaleico, meus senhores. Que a paz de Alá esteja convosco.” Aí começou a psicofonia da Olívia e perdi. Mas interessante a miscigenação.


Exercício para envio de energia de cura. Encerramento da reunião com agradecimentos


*https://pt.wikipedia.org/wiki/Olavo_Bilac
Olavo Bilac, entre outras criações, é um dos compositores do Hino à Bandeira Nacional:

Salve, lindo pendão da esperança,
Salve, símbolo augusto da paz!
Tua nobre presença à lembrança
A grandeza da Pátria nos traz.
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Em teu seio formoso retratas
Este céu de puríssimo azul,
A verdura sem mar destas matas,
E o esplendor do Cruzeiro do Sul.
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever;
E o Brasil, por seus filhos amado,
Poderoso e feliz há de ser.
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Sobre a imensa Nação Brasileira,
Nos momentos de festa ou de dor,
Paira sempre, sagrada bandeira,
Pavilhão da Justiça e do Amor!
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Estreia dia 29/04 no Clube do Aluno.
por Juliana Rissardi
Aniversário do nosso mentor, General Uchôa.