Somos todos impulsionados por algo que está além do nosso entendimento (LAB 31)

Diário Espiritual

Participantes: Adriana, Fernanda, Juliana, Juliano, Marcel, Mônica e Simone
Data: 18 de maio de 2021
Via Zoom

COMUNICAÇÕES

Fernanda conduz exercício de Sintonia chamado “Centro vazio”: perceba bem seu corpo e como cada parte dele está acomodada na cadeira, perceba em que partes a energia flui bem. Observe então seu ‘lado de dentro’, um lugar silencioso e vazio, tudo é como é, e tudo está bem. Perceba todos os seus antecessores atrás de você. A partir de seus pais, e os pais deles…e assim por diante. E não é preciso fazer nada, eles apenas estão ali. Traga essa atmosfera de atenção para o projeto do Círculo.


Mônica: Vejo um anel se expandindo, como se o Círculo e tudo o que a gente está fazendo já adentrasse o Mundo de Regeneração e essas ondas vão se transformando, tudo ao seu redor, bem amplo e bem grande.

Adriana: Nesse espaço vazio, no início via um lugar frio, gelado e depois de toda a condução este local ficou quente, gerava até uma fumaça da quentura… lembrei de quando falei que Juliano e Juliana teriam que brincar de quente e frio pra descobrir se estavam no caminho certo para a casa de Curitiba. Se tá quente, continua, é por aí. Se tá frio, não é o caminho… como uma sinalização.

Marcel: Vi um moinho.

Juliana: Eu vi um círculo de pessoas, assim como fazemos nas meditações, vários círculos um dentro do outro, que se expandia e se tornavam fractais… e ao redor ficava a marca do Círculo. A visão daquilo  subia até ver o Brasil… o Estado de SP. E o centro destes fractais se abria como um obturador de lente fotográfica, aí começava um influxo de luz para dentro e se expandia no planeta Terra com o símbolo do Círculo ao redor do planeta.

Mônica: Confirmo. Com isso dá a sensação que eu consigo acessar todo o campo, uma sensação de pertencimento muito grande, como se não houvesse segredo, muito interconectado.

Juliano: A sensação que eu tenho é de acesso ou estar pisando em um lugar mental, que não é físico, por isso não tem distância. Como se a virtualidade do zoom nos desse acesso a um lugar mental, e pra entrar nesse lugar você só precisa entrar na sintonia correspondente. Da mesma forma como temos endereços eletrônicos onde nossos dispositivos se conectam e este servidor gera uma virtualidade onde estamos juntos, como se fosse aquele ambiente de treino da Matrix, como se tivéssemos hoje a possibilidade de pisar este virtual que antecede uma expressão física mais forte, e ao mesmo tempo ressignifica o que é Movimento, o que é Partilha e o que é Comunidade.

Mônica: Confirmo.

Fernanda: O que o Ju falou conseguiu traduzir muito a minha visualização, era aquela mola maluca de criança, via diferentes movimentos, pessoas, processos… mas o eixo é aquilo que fica dentro da mola, que não podemos ver e nem pegar, mas é o que dá estrutura para essa mola acontecer e se adaptar conforme o necessário. Porque o eixo, aquela estrutura interna que não é visível nem palpável, está firme.

Juliano: Confirmo. Eu estava assimilando pensamentos como que houvesse uma ressonância sobre planos. Quatro anos atrás, nós descobrimos que havia um Círculo na dimensão espiritual e nós nos encontrávamos com os professores lá, tínhamos aula, espíritos na Egrégora neste plano espiritual. E parece que nesse momento aquilo que havia no espiritual, tivesse mais forte agora no mental, a partir do virtual. Como se o virtual e o mental se retroalimentassem. Então, existe hoje um lugar virtual chamado Círculo que dá acesso ao mental chamado Círculo. Como a Fernanda comentou, o fortalecimento deste eixo mental dá a sensação que é o que vai gerar depois as expressões físicas disso que já era espiritual, se reforça mental e virtual, e há de vir a ser físico.

General Uchôa (psicofonia por Mônica): Meus queridos, é exatamente assim que nos encontramos quando vocês se projetam mentalmente para unir forças conosco, que este local seja intencionado e muitas vezes acessado na intenção de encontrar conforto, troca, diálogo e inspiração. Ninguém está sozinho, existe uma interconexão, um apoio mútuo, um estar junto, segurando a mesma bandeira e caminhando sempre avante. Desse modo, sentimos a fortaleza do nosso movimento, a sincronicidade, o amparo, a diligência. Somos todos impulsionados por algo que está além do nosso entendimento, mas que ressoa em nós fortemente e nos coloca em movimento ascensional.

E neste redemoinho vamos tocando corações e fazendo este movimento chegar ainda mais longe, como uma varredura onde a poeira se levanta e deixa ir embora aquilo que não tem que ficar. Colocando todos em movimento conseguimos gerar atrito, de uma maneira positiva, tirando as pessoas do lugar comum, da inércia, da inexistência. Não se preocupem se em algum momento acharem exagerados, faz parte deste movimento, deste giro necessário para colocar em pessoas em movimento, pra acordarem, se posicionarem, para que elas, meio embriagadas pelo movimento todo, possam querer ajustar seus passos e se posicionarem em pé, de maneira às vezes cambaleante, mas encontrando um eixo, um ponto de apoio e erguer suas cabeças para verem um novo horizonte que se descortina. E é emocionante ver os despertos que já tem a alegria no olhar, a esperança no coração e a certeza de que muitos outros também acordarão. A euforia se fará presente, todos os corações ressoarão e vibrarão na mesma alegria, no mesmo diapasão.

Meus queridos, somos as pequenas borboletas que estão causando um enorme furacão. Nós os encorajamos a prosseguirem, a prosperarem, a causarem desconforto e turbulências porque isso, neste momento, é necessário. E estaremos com vocês durante o nosso Congresso e além. Vamos agitar as mentes e colocar o futuro aqui e agora visualizado como algo concreto, concebível e executável, algo que faz parte da nossa realidade. Parecem poucas pessoas reunidas aqui virtualmente, mas não são. Somos uma equipe muito extensa, muito coesa, que trabalha em harmonia, com muita alegria e ressonância e queríamos trazer estas palavras de incentivo e apoio para a caminhada que já está a passos largos. Que Deus os abençoe, com carinho, General e equipe.

Juliano: A visualização que eu tive era um arquipélago de ilhas, e quando visualizado de forma aérea dá a impressão de serem formações isoladas, fragmentadas, como que espalhadas pelo oceano. Mas um olhar que transcende a superficialidade da água, de uma forma topográfica, é possível perceber que aquele conjunto de ilhas aparentemente fragmentadas, não são outra coisa senão os picos de uma mesma formação montanhosa. As bases que unem e conectam só são visíveis para aqueles que transcendem a superficialidade das águas. Mostrando, em analogia, que os diversos grupos, pessoas, profissionais, alunos, círculos de estudo que aparentemente parecem estar separados e espalhados, são picos de uma mesma montanha. Algo os une e os faz um só.

Fernanda (psicografia): O Todo é formado por várias partes, mas a soma das partes não dá o Todo.

Juliana (psicofonia): A lei de pertencimento é inexorável. Todos pertencem ao Todo e todos tem seu lugar na ordem. Lembrem-se, queridos, o seu lugar sistêmico te protege, mas lembrem-se de não procurar o seu lugar fora e sim dentro de cada um de vocês. Papéis não são lugares, papéis são ferramentas, o lugar de pertencimento é aquele onde você é o que você é. As Leis Sistêmicas se aplicam a todos os humanos e é algo que indico o estudo aprofundado e acredito que a Fernanda está recebendo os insights necessários para trilhar este caminho.

Juliano: Confirmo.

Juliana (psicofonia): Fiquem em paz, meus queridos, um grande beijo.

Egrégora (psicografia Simone): Deixa o ditado de lado e fale de uma vez, criatura!


Desenhos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

por Grazieli Gotardo