Que nossas mentes, energias e intenções se agreguem (LAB 22)

Diário Espiritual

Participantes: Fernanda, Larissa, Juliana, Marcel, Mônica, Rene, Simone
Data: 16 de março de 2021
Via Zoom

COMUNICAÇÕES

Larissa conduz abertura da reunião


Simone: Para registrar, enquanto a Lari abria a reunião, estou com papel e caneta aqui, e fizeram o símbolo do infinito, mais o “@” e a nuvem (as reuniões de prancheta sempre iniciam com estes símbolos)

Juliana: Confirmo, no final da fala da Lari, desenharam os símbolos na minha mão.

Egrégora (psicofonia Mônica): A emoção é grande. É com muita alegria que saudamos o grupo e entramos em comunhão com vocês. Meus queridos, como é bom sentir cada um de vocês tão pertinho. O nosso coração se engrandece, exala muito amor e união. Todos os talentos de vocês, somados, conduzem a uma equipe sólida, estrategicamente escolhida para desempenhar diversas funções.

À medida que forem conversando, trazendo suas histórias particulares e relacionando cada história com seus pontos fortes, ficará ainda mais claro o porquê cada um de vocês chegou até aqui e o que faz ao redor desta mesa virtual.

Cada reconhecimento é um momento importante, onde revalidamos os nossos compromissos feitos antes da atual encarnação. Todos vocês vieram preparados para realizar aqui e agora algo especial no sentido de se aprimorar individualmente e coletivamente. Porque, assim como houveram desencontros, frustrações, traições, agora existe um movimento contrário no sentido de se superar, de agregar, de valorizar, de estudar e de fazer em conjunto em prol de algo muito maior.

Sintam-se então, meus queridos, envolvidos neste amor que permeia a todos neste momento, inclusive os que não estão conectados ao zoom, mas que em pensamento e vibração estão conosco, como a Drica e o Juliano. Que nossas mentes, energias e intenções se afirmem, se agreguem, e passem a formar um caminho único de intenção, compromisso e força.

Sinto, neste momento, a necessidade de elevar uma prece na intenção de cada um deste grupo e seus familiares, seus vizinhos, alunos do Círculo, comunidades, seres, entidades, planetas e universos (conduz a oração à grande fonte de Luz e Amor)

Montagne (psicofonia Simone): Dear fellows, we are advancing drastically to a new path of relationship. We look forward to meet Professor Euvaldo. Pay attention to it, doc. Big hug.

Tradução: Caros companheiros, estamos avançando drasticamente para um novo caminho de relacionamento. Estamos ansiosos para conhecer o Professor Euvaldo. Preste atenção nisso, doutora. Grande abraço

General (psicofonia Juliana): Meus queridos, é com muito gosto que me encontro com vocês no dia de hoje. Posso lhes dizer que vai ser muito divertido brincar com essas maquininhas do Euvaldo, viu. Queria eu que no meu tempo eu tivesse todos esses equipamentos e tecnologias. No meu tempo, eu passava era horas sentado lá no morro em Alexânia esperando as coisas acontecerem. Vocês vão experienciar coisas que eu nunca imaginei poder viver (encarnado, obviamente). Às vezes eu penso que ia ser divertido estar desse lado, mas, cá estou e sigo também na minha tarefa, tal qual espero que vocês sigam na de vocês.

Nossa equipe está muito dedicada em propiciar os ambientes energéticos na casa de cada um. Queria dizer que fico muito feliz com a presença constante de vocês, de Marcel inclusive. Estava com saudade desse cabra… Queria dizer, inclusive, isso pra você. Fico muito feliz de ver cada carinha aqui, que mesmo com as dificuldades do dia a dia, cada um arruma um jeitinho e vem.

Tem dia que dá, dia que não dá. Mas acho que dessa forma, via zoom, vai ser possível que estejam mais presentes, já que às vezes a distância e o cansaço dificultam um pouco, né? Venham sempre com a intenção de estímulo, de confiança e de persistência. É, meus filhos, têm que persistir. Não é fácil, não. Não foi pra mim também. Esse intercâmbio é um desafio dos dois lados.

Peço para vocês que estejam de mãos dadas conosco, que partilhem dos seus planos mentais conosco. Que sejam um conosco. Busquem nas meditações diárias essa unidade com a egrégora. Sintam o corpo de vocês como se misturasse no campo, ficasse uma coisa só, como se as moléculas do seu corpo se dissipassem e se misturassem toda essa energia de vocês. E apenas respirem. Tentem fazer isso e depois vejam como foi. No mais, se tiverem alguma pergunta…

Montagne (escrita automática Simone): Dear travelers, we are welcoming today Euvaldo’s team and mixing up the energies. The physical treatment is important to the creative energy in this “multi conversation”.

Tradução: Caros viajantes, damos as boas-vindas à equipe de Euvaldo hoje e misturamos as energias. O tratamento físico é importante para a energia criativa nesta “multi conversação”.

Rene: Nesse meu caminho da homeopatia, é a primeira vez que consigo enxergar a conexão de tudo isso que estou estudando nestes últimos anos com a medicina. Então vai ter muita pergunta no meu plano mental para entender os processos, mas vou soltando aos pouquinhos. (risos)

General (psicofonia Juliana): Não se envergonhe, não.

Olívia (escrita automática Simone): Estamos preparados. (risos)

Mônica: Minha psicofonia foi diferente, era alguém que nunca havia se comunicado antes e estava muito emocionada. E conforme ia fazendo a oração, misturava um pouco, era eu e não era. Fiquei na dúvida “será que sou eu que estou falando ou não?”, mas enfim…

Rene: Na última reunião, eu tive uma sensação de energia paterna. Queria saber se têm algum pai, não meu, mas de alguém daqui, de alguma outra encarnação. Porque eu senti um orgulho assim de um pai vendo um filho.

Mônica: Pode ser meu pai, porque ele curtia o General Uchôa, com certeza estaria aqui se estivesse vivo.

Simone: E detalhe que na última reunião, a Mônica estava com aquela questão de receber uma chave, toda uma preparação para uma nova fase, que recebeu de volta os dons da sua ancestralidade… Então, é muito interessante o Rene sentir no ar um orgulho de pai.

General (escrita automática Fernanda): Meus queridos, vou ficando por aqui após minha mensagem, pois é importante que conversem bastante, e que conversem mais antes das reuniões.

Juliana: Para mim veio uma fala “eu gosto muito quando vocês respondem antes mesmo de mim”, e ele queria se despedir mesmo.


Larissa: Quero perguntar se a egrégora pode falar alguma coisa sobre o Congresso do Círculo. A temática, a direção…

Olívia (escrita automática Simone): Eu sugiro que conecte os elementos de pesquisa partindo da ideia de se desestruturar os ambientes daquilo que é considerado Laboratório. A minha percepção é sempre “como fazer o novo, do nosso jeito?”. Coragem de desbravadores e olhos de gavião.

Simone: Me veio muito forte na hora da mensagem os livros do General. Mas não sei se seria um viés meu.

Larissa: Eu andava tateando essa ideia das estruturas, uma estrutura que permitisse mais. Mas de qualquer forma vou elaborar essa questão das vivências do General e incorporar à linha que eu estava construindo.

Olívia (escrita automática Simone): Destrinchar as estruturas é o começo.

Egrégora (psicofonia Juliana): My dear fellow, the Congress is a great opportunity for you to talk about the new technologies that are coming in the near future. After all, it is all about a new society and all that is possible to make it better in the ways of community and interrelationships, not just between our dimensions but mostly that communication can flourish inside people, so that the relationships between humanity can be improved.

We are working hard in the connections to the Congress in very confident that it is gonna be a real deal and we bring new connections to Circle activity.

Tradução: Minha cara colega, o Congresso é uma grande oportunidade para você falar sobre as novas tecnologias que virão em um futuro próximo. Afinal, trata-se de uma nova sociedade e de tudo o que for possível para torná-la melhor nos modos de comunidade e inter-relacionamento, não apenas entre nossas dimensões, mas principalmente para que a comunicação possa florescer dentro das pessoas, para que as relações entre a humanidade possam ser aprimoradas.

Estamos trabalhando duro nas conexões com o Congresso, com a certeza de que será um negócio real e trazemos novas conexões para as atividades do Círculo.

Egrégora (psicofonia Simone): The point is: don’t try to understand the whole thing. It is an endless complex of things to figure out at once. So, focus on advancing gradually.

Tradução: O ponto é: não tente entender a coisa toda. É um complexo infinito de coisas para descobrir de uma só vez. Portanto, concentre-se em avançar gradualmente.

Egrégora (psicofonia Juliana): I mean, the focus is not in the technology, but what technology can do to the human kind. It is not about technology, it is about people. It is all the point of technology that comes to the Earth, to make you better humans. It is not just to make you better, but better humans.

Tradução: Quero dizer, o foco não está na tecnologia, mas no que a tecnologia pode fazer com a espécie humana. Não se trata de tecnologia, trata-se de pessoas. É todo o ponto da tecnologia que vem à Terra, para torná-los seres humanos melhores. Não é apenas para torná-lo melhor, mas sermos humanos melhores.

Montagne (psicofonia Simone): A scientist with a heart. This is rarity!

Tradução: Uma cientista com um coração. Isso é raridade!

Larissa: Eu tenho bastante coisa para fazer. (risos)

Juliana: A mensagem que vem muito forte é de que a tecnologia é um meio, a nova ciência é um meio. As pessoas se deslumbram com o fenômeno e se esquecem do objetivo daquilo. Tudo que vem é com o objetivo de evolução como seres, como espírito. O ser humano deturpa, mas tudo vem com o objetivo primário de ser algo para evoluir.

Egrégora (escrita automática Simone): How to + What for

Tradução: Como + Para quê

Larissa: É a mesma questão da Ufologia. Os avistamentos eram mais intensos e se cria o culto ao fenômeno. Aquela coisa da casuística muito forte sem absorver a mensagem por trás.


Rene: Quando eles nos falam que o projeto é grande, dá uma impressão de que existe um vislumbre, não só imaginativo do lado de lá, mas como se em algum nível conseguissem acessar o futuro – se é que existe futuro – e aí eu queria ter uma noção se é uma coisa baseada em probabilidades ou se é um vislumbre real do que será a sociedade daqui uns anos. Se é uma coisa lenta e gradual, porque as coisas estão acontecendo vagarosamente desde os anos 80.

Olívia (psicofonia Juliana): Meu querido, infelizmente, as nossas concepções temporais são um pouco distintas. O que é rápido e o que é devagar. Na perspectiva atual, 5 anos é algo muito próximo. Entendo a sua perspectiva temporal de vida. Na classe social de vocês, hoje em dia é de 100 anos.

Mas pense bem, há quantos milhares de anos a sociedade humana foi construída? Houve uma construção em cima de determinados valores durante milhares de anos, e não é possível reduzir a mudança dessa reforma consciencial no tempo em que a sua consciência gostaria que fosse.

Imagine como se fosse um emagrecimento. Alguém que está obeso. Você faz uma redução de estômago forçada, mas a mente daquele ser continua obesa e, provavelmente, voltará a ser obeso se não modificar o padrão de alimentação e cuidado consigo. Com a humanidade é o mesmo. Não podemos forçar uma mudança estrutural. É preciso mudar de dentro pra fora. E tal qual o obeso, pra manter o peso e a modificação no futuro, a mudança da humanidade, para ser duradoura, efetiva e real, precisa ser lenta e contínua, todos os dias. Existem crenças e medos enraizados. Medo da falta. Ser humano sempre está com medo, isso não é fácil de mudar.

Então, nós vislumbramos dentro das 2 próximas gerações, uma mudança relevante, caso continuemos – e também do lado daí, todos os que buscam, não só vocês, mas todas as pessoas que buscam transformar a terra em um lugar melhor – é essa persistência, essa constância que possibilita ancorar a modificação para as próximas gerações.

Acredito que, na sua existência atual, poderá ver, de relance, esse novo mundo que desabrocha. Mas serão anos de trabalho árduo. Mas não esqueça que a beleza da mudança interior você poderá ver… A sua mudança e a daqueles que lhe são próximos, pois é mudando um pouco de cada um que a mudança maior acontecerá. Então foque nessa beleza, porque o micro é o macro, e o macro é o micro.

Marcel: Enquanto você falava, eu estava pensando justamente em cima dessa última frase sua, micro-macro. Quando foi falada a pergunta do Rene em relação à década de 80, se a gente analisar uma coisa no macro, uma pessoa olhando para outra, ela verá aquela mudança.

Imagina que você é uma bactéria. Pra replicar, parece que têm uma demora se você olha de perto. Mas quando você olha de cima, fiquei imaginando a visão que a gente tem – ela é muito focada e tem essa nossa interpretação de ser lento. Mas se a gente olhar de cima, a gente vê os sintomas se espalhando rapidamente. Foi essa ideia que me veio à cabeça e achei que tem muito a ver com a frase que foi dia.

Fernanda: Veio uma imagem que acho que tem a ver com o que o Marcel falou. Era uma imagem assim: se a gente olhasse pra trás na história e visse como a humanidade caminhou, na época em que adorava vários deuses, depois veio toda a fase do monoteísmo, e agora estamos passando pra essa fase de acreditar na gente, reconhecer a centelha divina dentro de nós. Como se fosse um processo que levou milhares de anos. A gente perde um pouco a perspectiva, mas quando olha na linha do tempo, temos essa noção da evolução.

Juliana: Eu vejo o Círculo nesse papel de trazer o conhecimento para pessoas que já têm liberdade de pensar. É o alimento que as pessoas que estão em situação de conflito precisam.

Grupo segue na conversa do papel do Círculo, da evolução humana, das questões que ainda estão muito precárias em nossa sociedade (enquanto sociedade e no interior dos seres em conflito)


Exercício para envio de energia de cura. Encerramento da reunião com agradecimentos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Estreia dia 29/04 no Clube do Aluno.
por Juliana Rissardi
Aniversário do nosso mentor, General Uchôa.