“O espiritualismo triunfará pela força do verbo”

Acervo do General Uchôa

O Acervo do General Uchôa é um universo de descobertas sobre a vida e obra do mentor espiritual do Círculo Escola, que mesmo tendo deixado um legado de livros publicados sobre seus estudos, muitas coisas só se revelam agora ao manusear e transcrever textos que estavam em seus pertences.

É o caso desse texto, encontrado em quatro páginas datilografadas e sem data, mas que pelo seu conteúdo é possível entender que foram anotações para uma de suas muitas palestras em eventos, neste caso da cidade de Resende (RJ), onde ele morou e trabalhou.

Aqui ele fala sobre a vida do espírito, evolução humana, ensinamentos do Vedanta e realização espiritual.

Leia a íntegra:

Espiritualidade é viver a vida do espírito; é sentir a vida Una, tão efetivamente como percebemos a vida dos sentidos. Sim, o homem espiritual chega a esse estado de felicidade.

Os atos de altruísmo e união entre os povos nos tempos demonstram claramente, que a alma humana está sendo atraída para uma força superior invisível, que sussurra baixinho dizendo que a humanidade é toda Una, e pertence a um só tronco, ou expressões de uma só fonte.

As congregações espiritualistas se repetem por toda a parte, unindo credo e ideias, seja ela qual for, confraternizando jovens e velhos, ricos e pobres, impulsionando-os à espiritualidade.

No difícil caminho da nossa evolução é o espiritualismo que nos dá uma nova concepção da vida, infundindo-nos firme coragem e boa vontade, elevada confiança e à fé que nos habilita a vencer os obstáculos inevitáveis ao progresso.

Se assim não fora, não teríamos a ventura de apreciarmos como se vai ampliando e encontrando lugar na consciência dos homens, invadindo suavemente os lares, levando aos corações desalentados e tristes, um calor vivificante e consolador.

E o espiritualismo triunfará pela força do verbo iluminando o mundo, derrubando o obscurantismo dogmático, para dar lugar ao amor, a verdade e a meditação. Caminho certo, a eterna unidade.

O congresso que ora se realiza nesta majestosa cidade de Resende, berço de muitas gerações e de homem ilustres; é bem uma demonstração de que os tempos são chegados; e seu nobre povo num gesto de elevado espírito de compreensão, plantam mais um marco na história espiritualista de sua terra, realizando esta solenidade.

Como representante do Centro de Irradiação Mental “Otília Gomes”, com sede em Quatís, e como resendense de coração, vim trazer minha fraca colaboração a este congresso e apertar as mãos dos D.D. irmãos congressistas, aqui credenciados, e dar o meu abraço fraternal a meus conterrâneos; ao transmitir meu abraço transmito também um apelo às suas consciências para que meditem um pouco no que aqui foi dito sobre o espiritualismo.

Não havendo portanto espaço desocupado e sim somente Deus não manifestado, onde nada percebemos pelo sentido, segue-se que qualquer coisa que dependa de espaço, está refletindo em Deus, como qualquer objeto no espelho.

Desse modo, tudo que é manifestado, existe em todas as suas fases na dependência do espírito universal.

Todas as formas ou manifestação do espírito com o tempo se dissolvem, é o que concluímos com os ensinamentos e observações da própria natureza.

Dissolvendo a forma, a essência volta ao grande manancial de que emanou antes e assim a natureza em estado sutil não volta diretamente a Deus, mas de análise em análise vão sutilizando mais e mais até que se confundem e se perdem no Absoluto, que é o Criador ou unidade consciente, Deus!

A Vedanta ensina, que só existe Deus – o espírito universal. As formas, todas compreendendo os astros, todos os pontos siderais visíveis ou não para nós, são apenas desdobramentos de Deus.

E esta teoria nada tem de hipotética, pois o vedantista para ter este nome, deve realizar essa verdade prática.

Para isso prescreve regras para identificar com o espírito, razões estas que despertam no aspirante a vedanta, a consciência de espiritualidade.

E para conseguir essa realização espiritual é preciso que a mente seja depurada, antes de todas as impressões viciosas ou impuras; isto é, livrar-se da influência da matéria e da mente sobre a alma.

Sabemos que os instrumentos exteriores são: os olhos, os ouvidos, etc; os órgãos internos são os centros cerebrais correspondentes

Sem que a mente venha usar esses aparelhos eles vão inertes; isto é, não podem ver nem ouvir.

E regras, ou melhor, os treinos prescritos pela filosofia vedanta à seus aspirantes e iniciação, consiste em manter os órgãos mentais em seus respectivos lugares; e isso se obtém por meios de meditação e certas ginásticas mentais, que não cabe aqui falar sobre elas.

Uma vez o adepto convenientemente preparado por estes métodos primários, lhe são ministradas outras séries de regras e ginásticas que para alguns demandam longos anos de práticas.

Todavia para outros, o tempo de treino e aprendizagem varia, tudo depende da maturidade da alma individual, que em muitos casos com pouco exercício forma a corrente espiritual,prenúncio de identificação de Jivatma com Paramatma ou seja da alma individual com o espírito infinito.

Daí se infere que para galgar posições na espiritualidade é preciso o desbastamento das qualidades inferiores da mente e isso é acessível a todos os praticantes de vedantismo ou não.

Isso quer dizer, que o aspirante, para deligenciar no sentido de realizar esse nobre fim, tanto pode ser cristão – romanista ou protestante- como pode ser judeu, brahma ou mahometano desde que o sistema de crença não vá de encontro a ética espiritual.

É isso uma verdade pois muitos filósofos de renome têm afirmado essa possibilidade, dentre eles de destacar o grande mentalista norte americano “Prentice Mulford”: – que diz o seguinte: Somos parte de Deus manifestado na carne e é nosso dever alcançar todo o atributo ou qualidade que possamos conceber da Divindade.

O grande mestre de cristandade “Jesus”, afirmou quando disse: Sede perfeito como é vosso pai, que está nos céus.

A raça humana independente de qualquer cultivo reconhece o que é moral elevado, assim como o que é baixo e imoral.

E assim, se conclui que se praticarmos o mal e nos proclamarmos humanos superiores e espirituais, ninguém nos dará crédito, porquanto só os atos podem convencer.

E isso é muito importante no cenário da vida, para que o homem sinta a imperiosa necessidade de burilar sua mente obstruindo os obstáculos que o impedem de chegar a realização de seus ideais e da unidade ou a causa primeira.

E quem atinge a causa primeira atinge a consciência da espiritualidade e quem atinge a consciência da espiritualidade vive no Todo, sente o Todo e ama o Todo.

Espiritualidade é o elo que prende o conhecimento ao desconhecido – a alma do criador.

E para encerrar a minha humilde oração faço o mais ardente voto para que no próximo ano, no dia de hoje nesta mesma data, este recinto seja usado novamente, porém, com mais completo êxito de paz e luz para a humanidade.


Já conferiu as aulas do acervo? São 38 aulas com documentos históricos (além do StarTape Project!) com acesso às imagens dos documentos originais. O Acervo do General Uchôa é um compromisso assumido pelo Círculo com a família Uchôa, que confiou aos cuidados da escola documentos pessoais do General. O acervo conta com entrevistas para imprensa, recortes de jornal, psicografias, áudios, desenhos etc…num trabalho vivo que está sendo desenvolvido e disponibilizado pelo Círculo.


 

 

 

Acesse nossa editoria de conteúdo #AcervoUchôa e leia todas as matérias já produzidas sobre o trabalho no Acervo.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

A história dos 7 anos de Círculo Escola.