Kaeme, engenharia rodoviária com olhar no futuro

Empresa está passando pela Jornada de Talentos Naturais do Círculo.

Empresa pioneira em processo sustentável da pavimentação rodoviária está passando pela Jornada de Talentos Naturais da Educação Corporativa do Círculo.

A Kaeme Empreendimentos e Consultoria é uma empresa de engenharia rodoviária, que mostra que a Nova Terra está chegando em todos os segmentos. Fundada em 1994 pelo engenheiro Ronaldo Lacourt de Mendonça, em Vila Velha (ES), hoje é pioneira no Brasil no uso de um resíduo siderúrgico para a pavimentação de asfalto. O processo evita o tradicional uso de brita e reduz em até 60% os custos da obra. O Círculo está atuando na Educação Corporativa com a equipe da Kaeme, a partir da jornada de Talentos Naturais e Psicologia de Pontos Fortes.

Tudo começou com meu pai, quando ele começou a estudar o uso de um agregado siderúrgico na pavimentação, e descobriu, em laboratório, uma forma de usar esse material, desenvolvendo um produto diferenciado para uso da siderúrgica ArcelorMittal Tubarão. Foi uma quebra de paradigma, pois era algo que não tinha utilidade e gerava um passivo ambiental importante”, explica Luís Felipe da Cunha Mendonça, Diretor de Operações e Novos Contratos Kaeme, que assumiu definitivamente a empresa no ano passado, após o desencarne de seu pai.

Hoje, a Kaeme é a única no Brasil com expertise na transformação desse resíduo. A empresa conta com laboratório próprio dentro da ArcelorMittal Tubarão, que já recebeu prêmios de sustentabilidade, pois o processo evita a exploração de minerais com a explosão de pedreiras. Conforme Felipe, desde 2006 a Kaeme já transformou mais de 3.300 milhões de toneladas de resíduo siderúrgico, reduzindo o passivo ambiental da ArcelorMittal a zero. Já são mais de 1200 km de vias em todo Espírito Santo e 2500 ruas feitas de forma mais sustentável.

Imagem aérea de um dos Centros de Distribuição de Agregado Siderúrgicos (Revsol) da Kaeme.

 

Mas os desafios nunca foram e nem são poucos para consolidar o processo no mercado, visto que a empresa atua em uma mudança de paradigma do segmento, que sempre utilizou brita. Devido a inovação, no entanto, Felipe foi convidado recentemente para palestrar em eventos na Alemanha (Euroslag Conference) e Argentina, onde vai falar em congressos para engenheiros do setor sobre o processo desenvolvido na Kaeme.

SOBRE O EMPREENDEDOR
Luís Felipe da Cunha Mendonça, 52 anos, natural de Curitiba (PR), é um empreendedor nato.
Aos 11 anos de idade vendia estilingue na escola; aos 15, colocava som em festas; aos 17, ajudava o pai na Kaeme, copiando as cadernetas de topografia. Antes de assumir a empresa, no entanto, seus caminhos foram muitos. Trabalhou em banco, fez curso técnico de Hotelaria, morou na Venezuela; Manaus (AM), depois no Canadá e então foi para Vitória (ES). Já empreendeu com escola de inglês, teve loja de orquídeas em shopping, investiu em sítio e investe em Meliponário (colmeia de abelhas sem ferrão). Atuou na Kaeme em diversos momentos da vida, mas, em 2021, com desencarne de seu pai, assumiu a empresa ao lado da irmã, Maria Rachel Mendonça, que sempre trabalhou com o pai. Felipe e Rachel são alunos do curso de Iniciação a Exoconsciência do Círculo e empreendedores da Nova Terra.

Por que investir em Talentos Naturais e Pontos Fortes

Equipe Kaeme fazendo levantamento topográfico.


Desde 2020, Felipe e Rachel começaram um processo de expansão da consciência.
Primeiro, assistindo às lives de Mônica de Medeiros e Margarete Áquila. Chegaram ao Círculo por meio de uma palestra de Juliano Pozati, que Felipe assistiu em um evento. Os irmãos fizeram o curso aberto Mediunidade com Autonomia; Ele fez parte da 1º turma do curso do Círculo Autoconhecimento e Espiritualidade, de Margarete Áquila, em 2021, e depois se matriculou na Iniciação à Exoconsciência.

Essa trajetória o levou a fazer o teste Clifton Strengths 34, da Gallup, e mentoria com Pozati. Ao conhecerem seus talentos, ele e a irmã perceberam que essa é uma poderosa ferramenta de autoconhecimento para o mundo corporativo, e agora os funcionários  da empresa estão passando pelo processo da Jornada de Talentos, desenvolvida pelo Círculo a partir do portfólio de Educação Corporativa.

“Com esse trabalho de Talentos Naturais quero dar condições para a equipe expandir sua consciência, tanto para a vida pessoal, como para a corporativa. Que a gente possa se fortalecer como grupo e criar algo maior entre nós. É algo que foi muito bom para mim e agora posso proporcionar aos demais”, destaca Felipe.

Uma resposta

  1. Muito obrigado ao Círculo Escola por contar um pouco desta história.
    A constante busca de aprimoramento de uma empresa, tem que ser corriqueira, e a melhoria contínua nos conceitos morais e que se enquadrem na Nova Terra, uma rotina.
    Passando por um momento de transição importante, onde toda a contribuição energética e frequencial, será de extrema importânca. Recomendo a todos que busquem o autoconhecimento pois assim será possível cumprir sua parte nesta transição.
    O Círculo Escola é uma ferramenta primordial, pois são pessoas comprometidas com o propósito do conhecimento.
    Agradeço fortemente a ajuda.
    Fiquem com a luz.
    Abraços
    Felipe Mendonça
    (Familia KAEME CONSULTORIA)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

A história dos 7 anos de Círculo Escola.