Harmonia é o reencontro da plenitude em cada uma das partes (LAB 47)

Diário Espiritual

Participantes: Juliana, Juliano, Adriana, Mônica, Marcão e Fefa
Data: 5 de outubro de 2021
Via Zoom

COMUNICAÇÕES

Juliano conduz a abertura da reunião.


Ekhon (psicofonia Juliano): Saudações da parte do nosso mestre Yashamil e de toda frota que tem se debruçado para concretização deste projeto que é um lugar de pertencimento de todos nós, nesta missão que se estende por entrevidas. Nós estendemos a este pequeno grupo nossas saudações e a nossa gratidão por terem sido o sustentáculo das operações espirituais e o ponto de intercâmbio entre a nossa gente. A despeito das diversidades e contratempos que a pauta cotidiana dos afazeres típicos deste momento de vida de cada um exige, hora e outra, vocês têm permanecido fiéis ao compromisso, o que nos possibilita um ponto de contato e irradiação. Eu afirmo, contudo, que devemos avançar. Novas experiências estão previstas para aqueles que estiverem dispostos a prosseguir perseverantes. Compreendam que a alegria é a força motriz da perseverança e que sem ela a consistência no tempo se torna uma tortura interminável. Mas a alegria tudo abranda, tudo pacifica, tudo facilita.

Abram as portas deste momento a todos os colaboradores da escola que desejarem entregar, nesta reunião, a sua disposição e força mental. Abram as portas deste encontro. Estabeleçam novas dimensões de compreensão para os protocolos adotados até agora. Abram-se ao novo. Ousem criar e viver o estilo que nos é próprio, do Círculo. A ousadia, a alegria, a dúvida, a confirmação, são elementos que permeiam a música do sentir e do realizar. Que a ciranda se abra novamente nesta Primavera, espalhando por entre as consciências em sintonia, um perfume universal que nos convida a todos à cooperação e à colaboração para evolução. O sabor do evoluir é tão mais apreciado quando temperado de relacionamentos e conexões que se estendem para além dos horizontes da vida. Sou Ekhon, humilde servidora deste projeto. Humilde aluna desta escola. Me despeço deixando entre todos a serenidade que emana da vibração contida em cada palavra que pronuncio.

Egrégora (psicofonia Mônica): É muito lindo de se ver o intercâmbio entre nós e vocês, já que precisamos de vocês para dar voz àquilo que precisamos comunicar, atuar, seja aqui, seja entre os alunos. São nesses momentos que aproveitamos para dar aqueles recados subliminares. Portanto, atendam de bom grado, comunique-se. Comunique-se com o coração acima de tudo, porque será nesses momentos em que aproveitaremos a brecha para atuar quanticamente. E quanto mais se juntarem a esta equipe, melhor será no intuito de multiplicarmos esse tipo de ação, pois estarão familiarizados com isso.

Fran (psicografia Drika): Nunca devemos opor cada instante que vos é apresentado de maneira leviana. No sentido de não importância. Os minutos, segundos, dias e meses são deveras importantes, haja visto que esses tempos são de brilho no meio do caos. Na intimidade de cada um de vocês existe um desejo que é inato de crescer e o lapidamento é o AGORA. Vocês têm tido grandes oportunidades e nós aqui estamos vendo esse desenvolver de uma maneira única e singular. Somos agradecidos pela dedicação e também pelo comprometimento. Ver os filhos, ou melhor, os amigos crescerem, também nos faz crescer aqui. Alegria no ar, presença no olhar, carinho estampar, amor a transbordar.

General Uchôa (psicofonia Juliano): Minha gente, muito boa noite! Nós temos dito nesse tempo que aqueles que seriam fiéis no pouco, que teriam mais. E vocês têm visto que se consolida na dimensão e no presente tempo tudo aquilo que vos dissemos ao longo dos últimos anos. E eu vos digo mais esta noite. Nós devemos crescer ainda mais. Eu estou falando aqui de crescer décadas em anos e essa multiplicação se deve ao fato de que o Círculo precisa ser uma universidade na acepção original etimológica do termo. Uma escola de conhecimentos que pretendam estabelecer a fina conexão entre o Ser e o Todo. A totalidade do mundo na totalidade do ser. Nós já afirmamos isso, em 2017 e 2018, quando inspiramos a missão da Escola como sendo impulsionar a transição planetária, levando conhecimento integral ao ser integral, priorizando a perfeita harmonia para muito além dos limites da realidade onde nos contemos. A conexão universal do homem Todo com o Todo e a realidade integral, proporcionam um impulso ainda maior ao estabelecimento da plena harmonia. Uma relação de perfeição onde nada sobra e nada falta. Harmonia é a unificação da suficiência em todas as dimensões, em todos os planos, em todos os sentidos de todos os seres que estão no Todo. Harmonia é o reencontro da plenitude em cada uma das partes. É este nível de harmonia que nós buscamos implementar através do trabalho dessa escola e só é possível se ela entender que sua verdadeira vocação não é outra senão a propagação da universalidade. O conhecimento Todo ao homem Todo. Essa responsabilidade consigo será ainda mais patrocinada pelo impulso de grandes energias que levarão esse projeto ainda mais adiante, para além das fronteiras do nosso país, para além dos limites do oceano que banha as nossas terras, porque assim precisa ser. É tudo que nós nesse momento podemos oferecer quanto a horizontes que se podem contemplar. Pois nós também sabemos que quanto mais antecipamos maior é a tremedeira dos vossos calcanhares. Todavia, sigam firmes nessa marcha, na certeza de quem marcha à nossa frente.

As 3 Mosqueteiras (psicofonia Juliana): O espírito vanguardista do Círculo alcança fronteiras que nenhum de vocês pode compreender. Me chamo Marcelle […] outras duas […] Bernadete. Nos nomeamos “As 3 Mosqueteiras” e aqui vos lembro os 3 lemas da Revolução Francesa: Liberté, Égalité, Fraternité. Tais como os mosqueteiros, esse lema tripartite do Círculo ressoa com o lema revolucionário das nossas terras. E, tal como os mosqueteiros, serve o Círculo que pode ser visto como o D’Artagnan nessa história tão incrível. O conhecimento com liberdade promove ao espírito a liberdade de escolha, pois sem conhecer não é possível escolher. A escolha pressupõe multiplicidade multicolorida. O movimento traz consigo a bandeira da igualdade. Da igualdade de onde se pisa, pois todos somos um e apenas como unidade conseguimos nos relacionar neste movimento de encarnações de relacionamentos, de intercomunicações planetárias e multidimensionais. A movimentação interna promove a movimentação externa nesse ciclo virtuoso de exploração dos seus talentos e dos seus propósitos. Por último, mas não menos importante, a transformação traz o estandarte da fraternidade, dessa fraternidade cósmica tão inerente ao nosso propósito final. Venham, irmãos, venham, irmãs. Juntem-se a nós. Estamos convosco e daqui não arredaremos o pé, porque compartilhamos do mesmo ideal, do mesmo sonho e sim, estamos na linha de frente, junto com vocês, pois onde há amor, não há medo. Onde há mão amiga, não há receio. Unam-vos cada vez mais. É nesse suporte fraterno, nesse amor incondicional, sem condições, sem pressupostos, que vocês encontram o porto-seguro, tão caro, tão preciso, indispensável para esse caminho que vos chama, que vos clama, que vos pertence. Venham! Podem vir! Les trois mousquetaires.

Marie (psicofonia Mônica): Como viram, não há fronteiras para nossa comunicação. Ela se dá em todas as línguas, de todas as formas. Ela se dá telepaticamente. E permeia a linguagem do amor e essa sim, tem uma força incomparável e é ela que dá suporte a todo o contexto. Sintam nesse momento o aporte do amor que vem para agregar, trazer força, incentivar. Para fazer vocês confiarem ainda mais e contribuírem efetivamente na construção desse projeto que cresce a cada dia. Que o amor se faça presente. Que o amor comunique. Que o amor cure. Seja forte e seja brando ao mesmo tempo. Assim seja.

Egrégora (psicofonia Mônica): Há muita emoção no ar. O que antes era uma barreira de comunicação, hoje foi transposta, graças à coragem da Ju. E tem mais amigos, de outras nacionalidades, para falarem também. E falarão em português, porque nós conseguimos conceber a ideia e fazer essa tradução simultânea, colocando no português, em palavras, aqui, o que estão querendo exprimir. E a fila é grande.

Juliano: As pessoas estão acionando centros de memória que são trazidos, cristalizados de outras encarnações nessas terras, por isso, muitas vezes, junto com a compreensão da tradução simultânea do idioma também vem a assimilação dos laços emocionais que nos unem com essas pessoas. Mas são pessoas de nacionalidades que já foram as nossas nacionalidades. Então, ao acessarem esses centros de memória, para conseguirem traduzir o que têm para dizer, acabam também acionando magneticamente lembranças de laços de afeto, a sensação de saudade, a sensação de um amor que se estende para além do horizonte que os olhos alcançam.

Mônica: Confirmo.

Juliana: A sensação era que parecia que estavam cavucando na minha cabeça todas as palavras em francês que conseguiram encontrar. Começavam, tipo… eu não sei francês, eu sei muito pouco, nunca estudei. Mas foi exatamente isso que o Ju estava falando, começavam a vir memórias, frases, exatamente isso que você falou. Estava pondo em palavras o que estava vivenciando.

Mônica: E até o idioma alemão se fez presente hoje ou, pelo menos, está aqui.

Lois Van Der Luchen (psicofonia Mônica): Meus queridos amigos. Ah! É com muita emoção que falamos e confirmamos o que foi exposto. Ah! Queremos ter voz aqui também, queremos participar dessa confraria, desses encontros de almas, onde a nacionalidade é apenas parte pequena disso tudo. Nós somos muito mais do que isso. Nós somos almas entrelaçadas, amigos e irmãos de caminhada. Estamos todos aqui unidos e empenhados em construir um porvir digno daquilo que planejamos e que acatamos como o ideal para a nossa humanidade que merece crescer, que merece florir em todos os sentidos. Por isso estão chegando crianças que farão a diferença. Crianças que trarão mais facilidade, um entendimento muito mais amplo, muito mais saudável, muito mais livre e igualitário. Confiem, meus queridos, que os problemas que vocês enfrentam são pequenos se vocês olharem o caminhar de uma maneira mais longa, mais grandiosa. Então, se fortaleçam, se sintam fortalecidos. Se sintam confiantes. Um grande abraço.

Leonardo i amici (psicofonia Juliano): Buonasera a tutti! Questa gente cui, questa buona gente, anche siamo amici, professore e n’altra vita ho lavorato a Firenze com voi e qui siamo a lavorare adesso. Il circolo, oggi e sempre, a scuola nostra qui siamo perché outrora, n’altra vita, ho lavorato com voi. Pace a tutti. Pace a tutti. Leonardo i amici. Ma, é um bando di italiano e nunca solo! Siamo um bando di italiano e nunca solo! [risos]

Tradução: Boa noite a todos! Essas pessoas aqui, essas pessoas boas, também somos amigos, professor e em outra vida trabalhei em Florença com você e estamos trabalhando aqui agora. A roda, hoje e sempre, na nossa escola estamos aqui porque antes, em outra vida, trabalhei com você. Paz para todos. Paz para todos. Mas, é um bando de italiano e nunca sozinho! Somos um bando de italiano e nunca sozinhos! [risos]

Mônica: O povo cigano está se apresentando também e deixando um abraço carinhoso também.

Juliana: Depois que a Mo falou, era como se estivesse escrevendo em um papel, eu vi escrevendo a letra das pessoas, na minha frente como se fosse uma caneta de pena. Foi assim que eu vi “Je suis Marcelle”. Depois que a Mo falou, o que escreveu foi Lois Van Der Luchen.

Juliano: Vamos aproveitar então esses centros de emoção e força que foram ativados em todos nós hoje e direcionar essa energia para que isso vá, circule, percorra as egrégoras brasileiras. Em especial, gostaria de pedir que todos mentalizassem em primeiro lugar, a casa de todos nós aqui, os amigos do Lab, esse grupo, esse pequeno núcleo que tem se reunido desde sempre. As nossas casas, os nossos, as pessoas que nós amamos, e em segundo momento, alcançando a casa de todos os colabores do Círculo, todas as pessoas da nossa equipe, que são ferramentas, instrumentos da cocriação, Carol, Clarinha, Guilherme, Bruninha, Grazi, Ju Rissardi, Ju Milet também, professora convidada, Marcão, Fer, George, Marisa agora, nos Açores, propagando, mesmo, por toda a nossa equipe, todas as casas e, a partir de lá, pelos seus, por suas famílias, por todos os lugares. Fazendo essa energia também alcançar todos os alunos dos nossos cursos, todos os nossos professores convidados, Mônica (de Medeiros), Marga. Para além desses alunos, todos os milhares de pessoas que se tornaram alunos do nosso curso de Mediunidade e, para além delas, as pessoas que são alcançadas pelos filmes, pelos documentários, pela programação e as pessoas que por elas são beneficiadas também.

A família Uchôa, benfeitora também desse projeto, alcançamos com essa vibração. E alcançamos a todos os parceiros, a todos os amigos, a todas as pessoas que ainda virão a fazer parte desse grande projeto, desse grande movimento, alcançamos com essa energia. Alcançamos a todos os amigos das egrégoras internacionais, as equipes espirituais de toda língua, toda raça, toda cor, que têm mostrado boa vontade e colaboração com o nosso processo. Gente de toda cor, de toda raça, de toda forma, formando um colorido especial, um grande círculo que envolve cada vez mais nosso planeta.

Gratidão aos nossos amigos espirituais. Nós traçamos com as mãos, no plano mental, o símbolo do infinito, deixando um rastro de luz na nossa mente, apaziguando o nosso coração, resfriando agora os centros de memórias que foram acessados, para que nenhuma supra emoção venha demasiadamente à tona. Nós agradecemos o intercâmbio e a excursão transdimensional, que alcança outros tempos e outros espaços da nossa manifestação terrestre, mas agora nós fechamos esses centros de acesso, com a certeza e a serenidade de que fizemos um bom trabalho e retornamos ao centro e à consciência da presente vida para seguir prosseguindo, sempre avante, sempre mais. And here we go. What a lovely meeting. (E aqui vamos nós. Que reunião agradável.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

por Grazieli Gotardo