É nesta atmosfera de amizade e confiança que podemos nos entremear (LAB 13)

Diário Espiritual

Participantes: Adriana, Alicia, Juliana, Juliano, Mônica, Simone
Data:
24 de novembro de 2020

COMUNICAÇÕES

Larissa conduz oração de abertura da reunião


Egrégora (prancheta): Boa noite a todos os amigos, sejam bem-vindos à vida real, onde expectativa e realidade se colapsam todos os dias na intenção de realizar. Sabemos dos esforços de todos e também já deixamos saber sobre os nossos esforços do lado de cá. É um esforço coletivo e multidimensional. Consideramos válida a manutenção da comunicação multidimensional híbrida, por assim dizer. Vale prancheta, psicofonia, transcomunicação e assimilação essencial. Vale tudo aquilo que nos coloque no mesmo patamar de cocriação.

Ficar bravo quando se trabalha junto é parte do processo. Boicotar o projeto maior por birra é infantilidade. Vocês foram escolhidos pela força que trazem em si, não pela fraqueza.

Juliano: Eu queria confirmação se vocês mexeram a caixa de som de novo?

Adriana: Eu ouvi também.

Joseph (prancheta): Estamos afetando o sinal de bluetooth. Inicialmente, consideramos que poderia ser um problema, mas depois vimos uma oportunidade que não havia sido prevista porque apesar dos nossos engenheiros estimarem os resultados da combinação da energia de cada um de vocês, não pudemos prever, com precisão, a qualidade do blend até que se consumasse a união do grupo. Aí vimos a possibilidade de começar a manipular o sinal de bluetooth. Nós acreditamos que, mais um pouco, será possível falar diretamente para discutir em pé de igualdade com o Pozati.

Rene: Eu queria ter uma noção se dá para acontecer dois fenômenos ao mesmo tempo. Da prancheta e psicofonia, por exemplo, ou se é muito complexo e têm que focar em um de cada vez do lado de lá. Queria ter uma noção do mecanismo da comunicação.

Joseph (prancheta): Do lado de cá, até que seria fácil. Do lado daí, a coisa complica um pouco, sobretudo pelo que abordava a Fernanda (estado de presença). Nossos planos mentais precisam estar focados numa combinação simbiótica, problema este que o grupo ainda não resolveu.

Alicia: E o que vocês acham da estrutura que a gente comentou antes de começar? (prancheta, starlanguage, visualização criativa)

Joseph (prancheta): Nós gostamos da proposta. Como tudo nesta vida, agora é questão de consistência ao longo do tempo. Podemos trabalhar com o Protocolo Scole, com o Protocolo Círculo, com Pai Nosso ou com Ave Maria, contanto que vocês estejam unidos num só foco e numa só intenção, e perseverem. Menos reclamação, mais disposição.

Alicia: Eu senti que talvez a gente tenha seguido o Protocolo Scole e deixado de lado os avanços que a gente já tinha conquistado (no protocolo Círculo). E a gente não tentou um blend (um híbrido), onde incluísse a nossa experiência também.

Joseph (prancheta): Em verdade, e não falo isso para vocês se acharem, mas, em breve, serão vocês a exportar o protocolo em mentorias, ou como guias de outros grupos. O caminho é o que já foi dito: um passo de cada vez. C/T (consistência ao longo do tempo).

Simone: Será que têm como confirmar, a título de estudo, pra gente saber em que nível que está, qual a porcentagem de acerto que estávamos alcançando na psicofonia?

Joseph (prancheta): Estavam em condições bastante satisfatórias. Uma dica que podemos dar é que, por vezes, vocês identificam no processo psicofônico trechos de coisas que se ouviram dizendo antes, ou que leram, considerando, talvez, que estão viajando ou falando coisa da cabeça. O que ignoram é que o tempo todo a mente de vocês está associada à nossa, e a nossa à de vocês, de maneira que participamos do dia a dia. Lemos o que vocês leem e, frequentemente, indicamos leituras que contém pacotes (barulho no tambor) de informação que intencionamos transmitir. Aliás, esse é um ótimo atalho para nós. Não há melhor médium que dê voz a pensadores mortos do que os seus livros.

Alicia: Joseph, e eu conduzo aquele desenvolvimento como eu fazia no Centro Espírita em Buenos Aires, ou a gente vai só no StarLanguage e deixa rolar? Psicografia? Pode dar um confirmo?

Joseph (prancheta): Lembra da canoa. (história da canoa que Alicia e Fernanda conversaram hoje… “deixar rolar”)

Alicia: E, aproveitando, queria saber sobre o Lead, se dá para baixar… Sobre a imersão…

Joseph (prancheta): Invistam no bom-humor. Isso pode ser uma boa ideia. Mas as parcerias, ao nosso ver, são a grande alavanca. Todo planejamento é entrementado conosco. Quando juntos estão, juntos estamos. Vamos treinar um pouco o gogó.


Egrégora (Mônica): As vozes do StarLanguage elevam a vibração. É uma harmonia que possibilita o intercâmbio. Quando há um desarme do intelecto, quando este se permite entrar num deleite ouvindo a cadência dos sons que emergem espontaneamente. Há um favorecimento de uma comunicação num outro nível. Sintam, meus queridos, o amor que permeia este ambiente através das vibrações emanadas por cânticos que se misturam aos nossos. É uma sinfonia que se eleva neste momento aos planos maiores, como uma oferta e agradecimento por proporcionarem momentos como este. Nós também estamos tutelados, também temos nossas orações, anseios, metas. É uma fina camada que nos separa. Momentos como este nos emocionam profundamente.


Egrégora (Juliano): Ainda um tanto mais será exigido de vocês, pois estamos nos aproximando de ultrapassar o primeiro limiar nesta nossa jornada de estabelecimento dos tão aguardados fenômenos físicos. Há uma estreita conexão entre os desafios do projeto Círculo e os desafios deste laboratório. Toda a tensão gerada os leva constantemente aos limites de tolerância desenvolvidos até então. Com frequência, percebam que a tribulação antecede a calmaria, como a maresia antecede a brisa leve e suave, o mar sereno e tranquilo. Não há tempestade que dure tanto, não há calmaria perene. Nos ciclos dessa jornada, vocês terão de conduzir este experimento e este projeto imbuídos da serenidade daqueles que compreenderam que tudo tem o seu ciclo.


Egrégora (Alicia): O velho dá lugar ao novo. O pensamento velho se transforma em ação nova. O pensamento novo emerge do espírito, vira pensamento velho e amadurece, e então se transforma em ação nova, que se concretiza, se consolida e vira ação velha. E a ação velha, de um novo patamar, gera um pensamento novo. E assim continuamente.

As rupturas do momento que passam parecem como abismos, porque vocês ainda não têm a visibilidade do novo e você é empurrado pelo pensamento novo a concretizar um novo passo, uma nova ação. Tudo isso demanda energia, dedicação, e a tão dita consistência ao longo do tempo na certeza do caminho e do propósito.

Com certeza, nos seus caminhos, os outros perceberão esta certeza e terão certeza também no caminho deles. Não se trata apenas de mediunidade, mas também de ações. Para se contagiar de alegria, você se rodeia de pessoas alegres e não de pessoas tristes, e assim vão se dando as parcerias, com a certeza do caminho. Vocês sabem onde têm que remar. Ao mesmo tempo em que deixam a onda levar, seguram no timão, porque sabem para onde estão indo.


Egrégora (Juliano): Um princípio que vocês devem observar e jamais esquecer é que, de início, essa era uma reunião de um grupo de amigos. À medida em que se perde na linha do horizonte as forças da amizade fraterna, os laços de família que os uniram em torno desta mesa, se perde o objetivo. Todo foco e toda transformação que se pode esperar deste projeto simplesmente se desvanecem como espumas nas ondas do mar. É neste clima, nesta atmosfera de amizade e confiança que podemos nos entremear, pois nós os buscamos porque temos com vocês amizade. Não somos estranhos apesar do breve esquecimento temporário. Nós construímos intimidade de alma, de coração, mente a mente. Somos cúmplices nos olhares e na voz. Somos parceiros na conspiração do novo mundo, de um projeto que eleva a humanidade a outro patamar. Não se esqueçam disso. E, se aqui estamos é porque lembramos de tudo que representam para nós a despeito de temporariamente quem somos e o que representamos para vocês. Nós cruzamos dimensões, mundos, por vezes alguns de nós cruzam espaços inimagináveis para estarmos aqui, e a força que nos move é a força do amor que é movimento em nós.

Egrégora (Simone): O Círculo é como um organismo vivo, e se o Círculo é um organismo, esta sala e esta reunião é como o coração desse organismo, que bombeia por todas as veias a força, a energia captada que leva a vida, e vocês são como células nesse coração, que transportam por todas as veias os nutrientes pelo sangue, para que tudo que faz parte do organismo seja alimentado, do epicentro para todo o campo do Círculo. Por isso, quando dizemos sobre a harmonia entre vocês, é mais do que um desejo de ver que estão harmonizados e que são amigos. É uma condição necessária para que os nutrientes possam ser transportados.


Exercício para mexer a mesa (sensações percebidas: mesa vibrando, mesa muito mole).

Exercício para envio de energia de cura.

Encerramento da reunião com agradecimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

por Juliano Pozati
por Grazieli Gotardo