Bora falar de dinheiro!

Valorizar o dinheiro é honrar a sua própria vida.

Só de ler o título seu coração já palpita forte né, criatura?! Amado por muitos e odiado por outros, o dinheiro causa inúmeras sensações e emoções naqueles que ainda não fizeram as pazes com essa energia. Sim, pois é exatamente isso que o dinheiro é: uma energia. Mas vamos começar pelo começo…

Ao sair para trabalhar ou sentar seu lindo bumbunzinho na cadeira todo santo dia, uma porção de energia vital sua é dedicada. Você está ali, presente, colocando seu tempo à disposição. E quem recebe esse tempo? Pode ser seu cliente, sua própria empresa, órgãos públicos ou uma empresa familiar, todos esses sistemas possuem algo em comum: ao receber sua energia e dedicação, eles precisam devolver algo a você. 

Como diz a lei hermética “o que está em cima é como o que está embaixo”, portanto, a troca energética precisa ser justa para que a balança se equilibre. Na natureza, por exemplo, a árvore absorve gás carbônico e libera o oxigênio, mas não faz isso de graça não: ela usa o CO2 para crescer e se desenvolver. Troca justa, não concorda? 

Da mesma forma é você e suas relações de troca. Um organismo vivo que recebe seu tempo e sua dedicação precisa lhe devolver algo para equilibrar a balança, e nessa manifestação da sabedoria sublime do Criador é onde repousa calmamente aquilo que tanto causa distúrbio na mente de muitos: o dinheiro.

O dinheiro é uma forma de energia que facilita a aplicação da justiça e do equilíbrio das trocas. 

Porque se você tivesse que negociar meia hora da sua aula de matemática por 5kg de arroz, por exemplo, muito do seu tempo teria que ser investido nessa negociação. A forma como o sistema se apresenta, na realidade, facilita nossa vida, pois cria graus de liberdade suficientes para que possamos decidir o que fazer com nossa energia vital.

Por aqui não tenho a pretensão de julgar ou analisar o que as pessoas fazem com o seu dinheiro. Tampouco quero investir o meu tempo para entender como está a distribuição dessa energia vital pela humanidade. Meu objetivo aqui é que você pare de lutar contra esse fluxo energético. 

A prosperidade é um estado mental equilibrado que depende de como você enxerga suas trocas, e de como você deseja viver o seu presente. 

Entendo que há prosperidade em uma conta bancária cheia de dinheiro e também com uma conta vazia, então deixe de lado essa ilusão de que prosperidade está relacionada com o dinheiro. Viver feliz, espalhar boas energias, ser agradável com seus pares, ser um canal pulsante de vida são sinais de uma vida próspera.

Fazer as pazes com o dinheiro é entender, finalmente, que ele é neutro e está com você para facilitar sua vida. Ele não é o vilão da história e também não precisa ser despejado e distribuído aos quatro ventos, como prova de que você é uma pessoa evoluída. Valorizar o dinheiro é honrar a sua própria vida, pois ele é exatamente isso: a tradução de sua energia vital e dedicação a realizar algo concreto nessa matéria. 

A suficiência habita no entendimento de que você é um ser único, uma expressão máxima da criação, e que está nesse plano para cumprir uma missão que você mesmo escolheu. Você não vive esse presente se não está vibrando exatamente na mesma frequência que o meio onde você habita. Entre no fluxo e seja feliz!

Um abraço forte!
Gus

2 respostas

  1. Explanação muito bem escrita e elucida bem o significado energético. Contudo, como aplicar isso no dia a dia de boa e no fluxo como vocês mesmos dizem? Como parar de derrapar no quesito prosperidade profissional/financeira? Meu… tenho 47 anos, fiz graduação, pós, e no entanto não consigo sair status assistente, trabalho arduamente, sou dedicada e as coisas não tem fluidez! Sempre as pessoas me falam, você é uma ótima profissional, tem muita capacidade e etc e tal e…. nãoconsigo deslanchar, as oportunidades não fluem de boa e no fluxo! Daí caio nas armadilhas do diabo -> sem grana pra me especializar mais, sem oportunidade para sair das estatísticas e me vejo engessada na matrix! Como sair dessa rede, quais movimentos ao certo? Honrar o $$, espalhar boa energia, ter gratidão, isso já é uma máxima em meus dias e… O que é preciso para eclodir já que para mim não faz o menor sentido o que diz o kardecismo sobre Karma, que outras vidas blá blá blá – até por isso, me identifiquei com o círculo pq rompe essa cortina limitadora da religião…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

A história dos 7 anos de Círculo Escola.