7 coisas que aprendemos em 7 anos com a egrégora do Círculo

Autonomia, liberdade e inteligência.

Você já deve ter ido a um show ou feira em que milhares de pessoas se reúnem com a mesma ideia, propósito e expectativa, que é de realizar um grande evento. Uma egrégora é esse quantum de energia mental que um grupo de seres deposita em um objetivo. Estou falando de seres, pois a egrégora parte de projetos humanos, mas existem os seres encarnados e desencarnados.

Quando um grupo de seres decide concentrar sua energia num evento ou projeto que vai se manifestar no espaço e tempo, esse quantum de energia, reunido, forma uma egrégora. É o que chamamos aqui no Círculo de “a turma de lá”, assim como temos parceiros da contabilidade, jurídico, funcionários… afinal somos uma empresa privada, tempos CNPJ e cumprimos com nossos compromissos na matéria. A egrégora, para nós, é um departamento, faz parte da nossa equipe.

E desde o início estabelecemos meios para conversar com eles constantemente para alinhar nossos objetivos, pois entendemos que trabalhamos juntos por um único projeto chamado Círculo! E por isso dizemos que nossa filosofia é exoconsciente, pois tudo que realizamos aqui na nossa escola não parte apenas das nossas mentes de seres físicos encarnados, mas também da mente de seres metafísicos com os quais interagimos constantemente.

Nós falamos com eles através de nossas reuniões de sintonia, sonhos, do laboratório de efeitos físicos, psicofonia, psicografia, clarividência…todas essas habilidades que utilizamos no dia a dia do trabalho. Assim como usamos ferramentas tecnológicas, como o Google drive e outros aplicativos que permitem oferecer nossos cursos, temos ferramentas para falar com a egrégora. Já são sete anos de comunicação com eles e, por isso, aprendemos muito sobre essa parceria multidimensional.

Vamos ao nossos sete aprendizados:

1 – Eles são gente como a gente;

Nós dessacralizamos a relação com eles. Veja que em nenhum momento falei que vamos a um lugar, centro ou igreja…Não, o contato é normal no nosso dia a dia. Pois a única diferença entre nós e eles é ter ou não ter, nesse momento, um corpo físico encarnado no planeta Terra. Eles não são santos, anjos, nem perfeitos. Às vezes, concordamos com o que eles dizem, outras vezes, não concordamos. Isso muda muito a relação porque eu não faço oração para a egrégora. Somos parceiros, então a relação é de igual para igual. Tira do conceito religioso e traz para o âmbito da vida comum, a mediunidade tem a ver com ser humano.

2 – O revezamento encarnatório em prol de um projeto maior;

O General Uchôa, mentor espiritual do Círculo, um dia nos explicou que é como se fosse a construção de um prédio: enquanto uma turma está construindo as paredes e andares, outra turma está vendo como está ficando o prédio de fora e, por isso, podem fazer observações, direcionamentos… Nós, encarnados, estamos com a mão na massa literalmente, materializando a Nova Terra. Mas em algum momento esses lugares vão ser trocados no processo de morte e reencarnação.

3 – O projeto é sempre um só!

A transição planetária é feita de bolhas de efervescência de algo maior. Às vezes, até parece que são coisas diferentes, mas numa segunda camada de compreensão percebemos que é uma coisa só. A frase veio de um ser chamado Ezequiel, que esteve em uma das nossas reuniões: O projeto é um só! Todas as egrégoras comungam para produzir o projeto Nova Terra.

4 – Colaboração, não obediência. Perspectiva, não imposição;

Se o projeto é um só, temos uma ideia de perspectiva, e não de imposição; colaboração, e não obediência. Isso é importante porque existem questões práticas da vida que são nossas e tem coisas que eles, por estarem lá de cima, veem melhor. Mas não existe submissão, existe trabalho lado a lado, ombro a ombro. E isso é um exercício de autonomia, liberdade e inteligência. A nossa egrégora quase sempre prefere nos oferecer perspectivas, do que comandos ou imposições. Entendemos que espírito elevado percebe que não tem licença para interferir no seu livre-arbítrio.

5 – A atuação da egrégora não se restringe ao espaço e ao tempo;

Desde o início do Círculo oferecemos nos cursos exercícios que chamamos de Sintonia, que são meditações guiadas. As pessoas fazem esses exercícios em diferentes momentos e lugares físicos, mas percebem no seu corpo a mesma energia, a mesma egrégora. Muitos relatam inclusive as mesmas vontades durante as sintonias, de acordo com o tema abordado.

Por isso, entendemos que a força da egrégora de trabalho do Círculo é uma força que se estende para muito além de um encontro físico, e que está presente em todas as salas de Zoom que fazemos com os alunos. E isso nos foi avisado em 2019, quando a egrégora começou a desenhar em nossas reuniões um @ e uma nuvem. Então perguntamos se eles estavam dizendo que precisávamos começar a desenvolver nossas reuniões pela internet. E eles responderam que sim! Estranhamos, tivemos receio…mas alguns meses depois veio a pandemia mundial, e não havia outra maneira senão fazer tudo online. Isso mostra que a atuação é a mesma esteja a pessoa onde estiver.

6- Gestão das emoções em projetos multidimensionais;

Muita gente pergunta se a gente fala todo dia com a egrégora do Círculo. Não, claro que não! Pois temos um hábito de criar diários espirituais, gravamos e transcrevemos as comunicações. E, muitas vezes, até cinco anos depois, ao reler, é que vamos entender do que uma comunicação estava tratando.

Não seria possível falar todos os dias pois cada comunicação é uma tarefa, uma nova missão. E elas nem sempre estão vinculadas ao período espaço tempo que estamos vivendo. Por isso, precisamos desenvolver uma certa serenidade, dar tempo ao tempo, ler e reler para compreender. E não interpretar baseado nos medos, traumas e expectativas do momento. O contato deve ser produtivo, gerar frutos e felicidade.

7 – “É importante que os escolhidos escolham a causa que os escolheu”.

O General Uchôa sempre diz: “muitos são os chamados, mas poucos são os escolhidos. Então é importante que os escolhidos escolham a causa também”.

Mas, tornar-se um escolhido é diferente de ser chamado. O escolhido é alguém que decidiu e não está anestesiado pelas distrações da vida. Aprendeu a eleger prioridade!
Quando você entende que a sua natureza espiritual é real, você entende que ela afeta todas as dimensões da sua vida.

Quando escolho entender que a exoconsciência ou a mediunidade estão integradas 24h por dia na minha vida, entendo que o desenvolvimento dessas habilidades são a prioridade.

E é justamente porque você tem desafios na vida material como no trabalho, na criação dos filhos ou relacionamentos, que você precisa desenvolver também sua inteligência espiritual e intuitiva.

Sempre avanti! Che questo è lá cosa piú importante!

Juliano Pozati


 ASSISTA TAMBÉM A AULA EM VÍDEO: O QUE É UMA EGRÉGORA ESPIRITUAL?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

por Grazieli Gotardo